João de Santo, OFM Atanásio (1659-1711)

Data de publicação
2009
Categorias
Período
Área Geográfica
Entradas associadas
Fr. João de Santo Atanásio nasceu em Coimbra em 1659, professou na Província de Santo António, em Viseu, quando contava 17 anos, e veio a destacar-se como missionário no Estado do Maranhão e Pará, tendo falecido nesta capitania a 3 de Março de 1711.

Figura que merecia uma maior atenção dos cronistas da sua ordem, nela desempenhou cargos importantes, tanto na referida Província, como na que dela se desmembrou em 1706 - a da Imaculada Conceição, em tempos de uma conflituosa partilha de conventos e missões. Em ambas foi comissário, assim como presidente e procurador das missões, tendo, relativamente a estas, ordenado o rei que estivesse presente na respectiva Junta local.

No campo da evangelização, a sua acção enquadra-se num tempo de alargamento da mesma às diversas ordens. Com efeito, com excepção de um breve período nos inícios da colónia (1624-1630), tivera neste sector a Companhia de Jesus uma forte preponderância, penetrando profundamente o vale amazónico em todas as direcções e nele fundando aldeias, em ambas as margens; em 1686, uma primeira medida determinava que estabelecessem também os franciscanos missões no Cabo do Norte, dividindo-se, por fim, em 1692-1693, as vastíssimas regiões pelos quatro institutos do Estado (para além dos mencionados, os carmelitas e mercedários).

Na ligação à sua actividade missionária, e a esta nova fase que se abria com a dita repartição, deixou Fr.João de Santo Atanásio duas obras que ficaram manuscritas e que infelizmente se perderam: o Roteiro moral para Missionários feito para a corte do Maranhão e que pode servir para as mais conquistas da coroa lusitana, em que se trata com a brevidade possivel todo o necessario para a administração dos Sacramentos e os privilegios concedidos aos Padres Missionarios, e Indios com muitas curiosidades, tudo ajustado às Pontificias condenaçoens dos Santissimos Padres Alexandre VII e Innocencio XI, e o Roteiro doutrinal. Com uma considerável dimensão (só o primeiro roteiro contava 1.145 fólios), permitiriam certamente reconstituir a pedagogia evangelizadora dos franciscanos no norte do Brasil, na ligação à sua espiritualidade, integrando possivelmente o escrito um regulamento interno (desconhecendo-se um regimento específico para esta parte do Brasil, considera-se provável que aí tenha por muitos anos vigorado o da custódia de Olinda, aprovado em 1607, que apenas constava de duas páginas).

Não menos interessante, no contexto do novo impulso missionário, um projecto, da sua autoria, de fundação de um seminário missionário para o seu instituto, apresentado em 1698, quando era comissário dos franciscanos de Santo António, mereceu a atenção do Conselho Ultramarino; apresentado com minúcia e erudição, visava, entre outros fins, funcionar como escola das línguas dos índios para aqueles que, vindos do reino, se iniciavam na evangelização.

Bibliografia:
LARCHER, Maria Madalena PESSÔA JORGE OUDINOT, Dictionnaire d'Histoire et de Géographie Ecclésiastique, vox Jean de Saint Athanase. Idem, A Vida Religiosa no Estado do Maranhão - A Diocese de S.Luís, da Fundação ao Desmembramento do Pará (1677-1720), tese de doutoramento, Universidade Católica de Lovaina, Louvai-la-Neuve, Dezembro de 1997 (policopiado).