Francisco Cabral (1533-1609)

Data de publicação
2009
Categorias
Período
Área Geográfica
Religioso da Companhia de Jesus que trabalhou especialmente no Japão. Nasceu na ilha de S. Miguel, por volta de 1533 e faleceu em Goa, a 16 de Abril de 1609. Era filho de Aires Pires Cabral e de Francisca Nunes de Proença. Foi educado em Lisboa e estudou Humanidades em Coimbra. Embarcou para a Índia como soldado na armada que levou o vice-rei D. Afonso de Noronha. Participou em acções militares em 1552 mas em Dezembro de 1554 entrou para a Companhia de Jesus, em Goa. Aí continuou os seus estudos e foi ordenado sacerdote em 1558. Entre 1562 e 1566 desempenhou a função de reitor do colégio de Baçaim, ocupando a mesma posição, por breve tempo, no colégio de Cochim. Em 1568 partiu para Macau, tornando-se professo de 4 votos no ano seguinte. A 18 de Junho de 1570 desembarcou no Japão, substituindo Cosme de Torres no cargo de superior, função que desempenhou até meados de 1581. Enquanto superior, Francisco Cabral visitou diversas regiões onde existiam cristandades estabelecidas, tendo deslocado a Miyako em 1571 e obtido uma audiência com Oda Nobunaga em Gifu. Nos intervalos das suas visitas o superior escolheu como residência Usuki, nas terras de Bungo. Durante o seu governo estreitaram-se as relações com a casa de Bungo, tendo Cabral baptizado, a 28 de Agosto de 1578, Otomo Yoshishige, que recebeu o nome de Francisco. Após deixar o cargo de superior do Japão, Francisco Cabral manteve-se ligado a Bungo, enquanto superior da região, função que desempenhou até 1583. Nesse mesmo ano partiu para Macau, onde foi superior de 1583 a 1586. Partiu depois para a Índia, onde foi prepósito da casa professa de Goa e consultor provincial entre 1587 e 1592. Desde esta data até 1597 desempenhou a função de provincial da Índia, voltando a ser consultor provincial até à data da sua morte. Em 1606 participou no quinto concílio de Goa, por parte do bispado do Japão. Enquanto superior do Japão, Cabral mostrou-se contrário ao método de acomodação cultural, bem como à formação de clero nativo, divergindo das ideias do visitador Alexandre Valignano.

Bibliografia:
FRÓIS, Luís S.J., Historia de Japam, vols. II-III, Lisboa, Biblioteca Nacional, 1981-982; Monumenta Historica Japoniae, dir. de Josef Franz Schütte S. J., Roma, Institutum Historicum Societatis Iesu, 1975. COSTA, João Paulo Oliveira e, O Cristianismo no Japão e o Episcopado de D. Luís de Cerqueira, dissertação de doutoramento em História apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 1998 (texto fotocopiado).