Tanegashima

Data de publicação
2009
Categorias
Período
Área Geográfica
Ilha japonesa, situada ao Sul de Kuyshû. Situada em 30.40N 131.00E. Tanegashima foi o primeiro local japonês a ser vistado pelos Portugueses. Segundo a tese tradicional, em 1543 um junco com destino à China foi colhido por um forte temporal e, desviado da sua rota, foi dar às costas de Tanegashima. A bordo desta embarcação seguiam três portugueses, os primeiros a pisar solo nipónico. O seu aspecto exótico causou surpresa e curiosidade na população local, tendo sido estabelecidos contactos por intermédio de um tripulante chinês, que serviu de intérprete. A curiosidade nipónica estendeu-se também aos objectos trazidos pelos portugueses, nomeadamente às armas de fogo. Dois exemplares terão sido adquiridos pelo jovem dáimio local, Tanegashima Tokitaka, e com base neles foram construidas as primeiras espingardas japonesas. Rapidamente os ferreiros de Tanegashima tornaram-se mestres na manufactura de armas de fogo, que se cedo se espalharam por todo o território nipónico, contribuindo para o acelerar do processo de reunificação do país. Durante algum tempo, as espingardas produzidas no Japão chamaram-se mesmo Tanegashima tepp!3;, tomando assim o nome do local onde foram primeiramente introduzidas. Embora esta seja a tese mais consensual, a chegada dos portugueses ao Japão e a introdução das armas de fogo é um tema que permanece em aberto, sendo debatido até aos dias de hoje. A falta de unanimidade entre os historiadores deve-se em parte às divergências apresentadas pelas principais fontes históricas que retratam o assunto. Escritos entre os séculos XVI e XVII, tanto os relatos ocidentais (Relacion de Escalante Alvarado, Tratado de António Galvão, Da Ásia, de Diogo do Couto, Peregrinação, de Fernão Mendes Pinto) como os japoneses (Tepp!3;ki, Tanegashima kafu, Kunimoto tepp!3;ki) apresentam diferenças entre si no que diz respeito à data e aos protagonistas. Assim, embora 1543 seja o ano que reúne maior acordo, alguns autores colocam a hipótese da chegada dos portugueses e das armas de fogo ao arquipélago nipónico ter ocorrido em 1542 ou 1544. Quanto aos protagonistas deste acontecimento, são apontados os nomes de António da Mota, Francisco Zeimoto e António Peixoto, reclamando também Fernão Mendes Pinto a autoria do feito, juntamente com Cristóvão Borralho e Diogo Zeimoto. Para além destes aspectos também a questão da intenção tem sido focada por diversos autores. Embora a chegada dos portugueses ao Japão seja considerada pela maior parte dos historiadores como acidental, recentemente foi lançada numa nova interpretação sobre o tema, a qual defende que este acontecimento deve ser visto como uma consequência da integração portugueses nas rotas comerciais do Extremo Oriente.

Bibliografia:
CORREIA, Pedro Lage, Ensaio Crítico a Murai Shôsuke, "A reconsideration of the Introduction of Firearms to Japan" in Memoirs of the Resarch Department of the Toyo Bunko, nº 60, 2002, pp.19-39. LIDEN, Olof G., Tanegashima. The arrival of Europe in Japan, Copenhaga, Nordic Institute of Asian Studies, 2002 in Bulletin of Portuguese/Japanese Studies, vol. 8, Lisboa, Centro de História de Além-Mar - Universidade Nova de Lisboa, Junho de 2004, pp. 93-106; Olof G. Liden, Tanegashima. The arrival of Europe in Japan, Copenhaga, Nordic Institute of Asian Studies, 2002. SCHURHAMMER, Georg, "O descobrimento do Japão pelos Portugueses no ano de 1543", Anais da Academia Portuguesa de História, 2ª série, vol. I, 1946, pp. 7-112.