cidade de Yokoseura

Data de publicação
2009
Categorias
Período
Área Geográfica
Cidade japonesa, situada na costa ocidental de Kyûshû. Situada em 33º05'N 129º42'E. Localizada nos domínios de Ômura Sumitada, Yokoseura desempenhou a função de término da nau do trato durante escassos anos, constituindo uma importante experiência para o que seria a futura Nagasáqui. A aproximação entre Ômura e os mercadores e missionários portugueses deu-se no início da década de 1560, quando o dáimio manifestou a Cosme de Torres o interesse em dispor de um missionário nos seus territórios, bem como em que a nau passasse a frequentar um dos seus portos. Descontentes com a situação em Hirado, onde em 1561 uma rixa causou a morte a vários portugueses, a proposta foi aceite. Assim, em 1562 a nau do trato, capitaneada por Pedro Barreto Rolim, ancorou pela primeira vez em Yokoseura. O porto situava-se numa pequena enseada, junto da qual estava estabelecida uma povoação. Nesse mesmo ano, o irmão Luís de Almeida foi enviado para o local, dando início à sua evangelização e procedendo às negociações com Ômura Sumitada. O acordo estabelecido determinava a cedência de metade dos lucros à igreja, ficando os mercadores portugueses isentos do pagamento de taxas durante dez anos. O domínio do território continuava, no entanto, nas mãos do dáimio. Depois dos acertos finais, foram levadas as obras de edificação da igreja, construída sobre um promontório, e na qual Ômura Sumitada recebeu o baptismo em Junho de 1563, tomando o nome cristão de Bartolomeu. A evangelização do local ficou a cargo de Luís de Almeida e João Fernandes, coadjuvados pelos japoneses Belchior e Paulo, sendo celebradas as principais festas do calendário litúrgico. Graças aos seus esforços, em Agosto de 1563 Yokoseura era já uma povoação cristã mas a continuidade do seu sucesso foi interrompida por uma sublevação que visava a erradicação de Ômura, bem como do Cristianismo. Em Novembro, Yokoseura foi novamente atacada pelos inimigos do dáimio cristão, sendo completamente arrasada. O seu porto foi abandonado de vez pelos navios portugueses, que nos anos seguintes procuraram locais mais seguros para fundear.
Bibliografia:
PACHECO, Diego S.J., "Historia de una Cristandad: Yokoseura" in Missionalia Hispanica, A. 21, Madrid, 1964, pp. 137-172; El hombre que forjó a Nagasaki. Vida del Padre Cosme de la Torres S. J., Madrid, Editorial Apostolado de la Prensa, 1973.