Presença portuguesa no Brasil (1500-1822)

Categorias
1500
Chegada da armada de Pedro Álvares Cabral a Porto Seguro (Abril). Primeiros contactos com os indígenas

1501
Expedição de Gonçalo Coelho para averiguar os limites do território. A costa é explorada do Rio Grande do Norte até ao sul da Cananeia (até 1502)

1502
D. Manuel I arrenda por três anos a exploração do território à sociedade de Fernão de Loronha, incumbida de explorar a costa e fundar uma feitoria-fortaleza

Possíveis explorações da costa setentrional brasileira

1503
Chegada ao Brasil da segunda armada de Gonçalo Coelho, que construirá a feitoria do cabo Frio

1506
Novo contrato da Coroa com a sociedade de Loronha por dez anos

1513
D. Manuel I envia Diogo Ribeiro, arauto real, para explorar o Norte da América do Sul

Expedição portuguesa explora o rio da Prata

1516
D. Manuel I adopta o sistema de capitanias de mar e terra

Envio da primeira expedição de Cristóvão Jaques para patrulhamento da costa e estabelecimento de colonos. Jaques transfere a feitoria de cabo Frio para o norte pernambucano

1521
Segunda expedição de Cristóvão Jaques entra no estuário do rio da Prata e sobe o rio Paraná

1527
Cristóvão Jaques, agora "Governador das partes do Brasil", sai de Lisboa para efectuar nova expedição de patrulhamento

1531
A armada de Martim Afonso de Sousa chega ao Brasil em missão de patrulhamento, exploração e povoamento. Dividida, a armada explora a costa desde o rio Gurupi (Pará) à bacia platina. Martim Afonso de Sousa envia quatro homens ao sertão em busca de metais preciosos. Experiências com cana-de-açúcar em solo brasileiro

1532
Martim Afonso de Sousa funda a vila de S. Vicente na ilha do mesmo nome (Janeiro)

1534
Divisão do território em quinze parcelas e início da sua distribuição por doze capitães-donatários (até 1536)

1535
Fundação de Santa Cruz (perto da feitoria pernambucana) e de Olinda por Duarte Coelho, capitão-donatário de Pernambuco

1549
D. João III entrega o governo-geral do Brasil a Tomé de Sousa, dando início ao processo de incorporação das capitanias brasileiras na Coroa. O governador chega acompanhado, entre outros, do ouvidor-geral, do provedor-geral e dos primeiros jesuítas chefiados pelo padre Manuel da Nóbrega (Março). Fundação da cidade do Salvador para sede do governo

1551
O papa Júlio III institui a diocese de São Salvador com jurisdição sobre todo o território brasileiro

1554
O padre Manuel da Nóbrega funda a aldeia de Piratininga, nas margens do Tiête, reunindo índios de três aldeias

1560
Expulsão dos franceses da ilha de Vilaganhão (baía da Guanabara), aí instalados em 1555

1555
Transferência da população de Santo André para São Paulo de Piratininga

1564
Instalação de uma expedição liderada por Estácio de Sá na ilha da baía da Guanabara (Fevereiro)

1565
Estácio de Sá funda São Sebastião do Rio de Janeiro na Guanabara (Março)

Provável início dos envios regulares de algodão de Pernambuco para Portugal

1572
D. Sebastião separa o território brasileiro, nomeando dois governadores (Banda do Norte e Banda do Sul)

1574
Luís de Brito e Almeida, governador da Banda do Norte, inicia a conquista da Paraíba, concluída em 1585

1574
Governadores e jesuítas chegam a acordo sobre restrições à escravização dos índios

1575
Expulsão definitiva dos Tamoios da costa da capitania do Rio de Janeiro

1576
O papa cria a prelazia do Rio de Janeiro

1577
D. Sebastião reunifica o governo do Brasil

1590
Fundação da capitania de Sergipe

1603
Início da tentativa de colonização portuguesa do Ceará

1607
O governo das capitanias do sul autonomiza-se de novo

1609
Criação do tribunal da Relação da Baía

1611
A Coroa autoriza cativeiro dos índios na sequência de guerra justa e apenas por dez anos

1612
Fim da separação dos dois governos

1613
Uma bandeira passa dos afluentes do alto Paraná aos do rio Tocantins

1615
Expulsão dos franceses de S. Luís do Maranhão, fundada em 1612

1616
Fixação portuguesa na foz do Amazonas (Pará)

1621
Coroa cria o Estado do Maranhão (capitanias do Maranhão, Pará e Ceará)

1624
Tomada de São Salvador da Baía pelas Províncias Unidas, recuperada em 1625

1626
Pedro Teixeira explora as margens do rio Tapajós (bacia amazónica)

1627
Pedro da Costa Favela sobe o rio Tocantins (bacia amazónica)

1630
Conquista neerlandesa do Recife. Início das conquistas do Brasil holandês

1632 Ocupação neerlandesa de Alagoas

1633
Ocupação neerlandesa do Rio Grande do Norte

1634
Ocupação neerlandesa da Paraíba

1637
Pedro Teixeira sobe o Amazonas até Quito, de onde regressa em 1639

1638
Ocupação neerlandesa do Ceará

1641
Ocupação neerlandesa de Sergipe e Maranhão

1645
Início da revolta do Pernambuco

1648
Bandeira de António Raposo Tavares parte de São Paulo e chega a Belém (em 1651)

1649
Criação da Companhia Geral do Comércio do Brasil que passa para a Coroa em 1657 1654
Portugueses e brasileiros retomam o Recife (paz formalizada em 1661 em Breda)

1680
Fundação da Colónia do Sacramento

1693
A Coroa autoriza o governo-geral a criar vilas no sertão

1694
Destruição do quilombo de Palmares (Pernambuco)

1698
Fundação do arraial de Ouro Preto

1699
A Coroa autoriza comércio negreiro directo entre África e o Brasil

1713
O rio Oiapoque torna-se a fronteira brasileira com a Guiana Francesa

1729
Início da exploração dos diamantes em Minas Gerais

1750
Tratado de Madrid: definição aproximada das fronteiras actuais do Brasil

1755
Criação da Companhia Geral do Grão-Pará e Maranhão (extinta em 1778)

1759
Expulsão dos jesuítas do Brasil

Extinção das últimas donatárias

Criação da Companhia Geral de Pernambuco e Paraíba (extinta em 1779)

1761
Tratado do Pardo: revogação do estabelecido pelo Tratado de Madrid

1762
Perda da Colónia do Sacramento para Espanha

1763
Transferência da capital da Baía para o Rio de Janeiro

1772
Reunificação dos Estados do Brasil e Maranhão

1777
Tratado de Santo Ildefonso: fixação de fronteiras aproximadas às do Tratado de Madrid

1785
Proibição das manufacturas no Brasil (revogada em 1808)

1789
Inconfidência Mineira

1798
Inconfidência Baiana

1808
Chegada da corte portuguesa ao Rio de Janeiro. Abertura dos portos brasileiros ao comércio internacional. Criação do Banco do Brasil

1809
Invasão da Guiana Francesa, perdida em 1817

1815
Criação do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves

1817
República Pernambucana

1821
Anexação da Província Cisplatina

1822
D. Pedro (I do Brasil, IV de Portugal) proclama a independência do Brasil, reconhecida por Portugal em 1825

Bibliografia:
COUTO, Jorge, A Construção do Brasil, 2ª ed., Lisboa, Edições Cosmos, 1997. JOHNSON, Harold e SILVA, Maria Beatriz Nizza da (coord.), O Império Luso-brasileiro (1500-1620), vol. VI da Nova História da Expansão Portuguesa (direcção de Joel Serrão e A. H. de Oliveira Marques), Lisboa, Editorial Presença, 1992. MAURO, Frédéric (coord.), O Império Luso-brasileiro (1620-1750), vol. VII da Nova História da Expansão Portuguesa (direcção de Joel Serrão e A. H. de Oliveira Marques), Lisboa, Editorial Presença, 1991. SILVA, Maria Beatriz Nizza da (coord.), O Império Luso-brasileiro (1750-1822), vol. VIII da Nova História da Expansão Portuguesa (direcção de Joel Serrão e A. H. de Oliveira Marques), Lisboa, Editorial Presença, 1986.